segunda-feira, 14 de abril de 2014

Virus que atormentam usuários do Facebook

Quem usa o Facebook deve ter percebido, nos últimos tempos, uma onda de marcações esquisitas. Não, seu amigo ou conhecido não está louco, ele foi vítima de um vírus.
Ter o computador ou celular infectado por um malware é muito comum. E nesse caso, é assim que a rede social é afetada, a partir de um dispositivo que acessa a internet contaminado.
Além de marcar amigos em postagens feitas em massa, os usuários infectados começam a enviar spam.
Internautas atingidos que acessam a rede a partir de vários computadores e dispositivos móveis precisam tomar medidas de desinfecção e segurança em todos eles para garantir o fim do problema.
Os posts incômodos e o comportamento irritante na conta do Facebook do usuário ocorrem porque a senha de acesso ao site foi roubada pelo malware.
Assim, trocar a senha é o primeiro passo. Em seguida, limpar a máquina usada para se logar à rede, ou então o software malicioso vai continuar roubando os dados.
André Carraretto, estrategista de segurança da Symantec, explica que a maioria desses problemas ocorre pela invasão do computador, mas smartphones também podem ser alvos do crime.
"Esse tipo de sofisticação é mais comum em vírus para desktop e assim como ele rouba a senha do Facebook, pode roubar diversos outros tipos de dados."
O próprio Facebook alerta os usuários sobre o problema e oferece uma série de ferramentas de segurança para proteção dos dados da conta.
No site facebook.com/help é possível encontrar soluções que reconhecem e avisam o internauta quando a conta for acessada de navegadores e locais desconhecidos.
Além disso, também é possível definir uma etapa extra de login, em que é preciso inserir um código especial de acesso junto à senha.
Outra solução ofertada é criar uma lista de contatos confiáveis que podem ser utilizados para resgatar a sua conta caso ela tenha sido invadida e roubada. Funciona como uma rede de chaves.
Caso o problema ocorra com algum amigo, a recomendação é denunciar os posts como spam, para que a própria rede tente barrar a ação do malware.

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/tec/2014/04/1439484-virus-se-alastram-e-atormentam-usuarios-do-facebook.shtml


terça-feira, 8 de abril de 2014

Hoje é o último dia do Windows XP

É hoje. Neste dia 8 de abril de 2014 a Microsoft encerra por definitivo o suporte ao Windows XP. Na prática isso quer dizer que a empresa de Seattle não vai mais se preocupar em corrigir bugs ou liberar correções de segurança para possíveis brechas no sistema operacional, deixando seu PC - se você é um dos milhares de usuários que ainda estão nessa plataforma - à mercê de possíveis ataques de cibercriminosos.
Junto com o Bug do Milênio (ou Bug do Ano 2000), o fim do suporte ao Windows XP é um dos eventos mais divulgados - e mais ignorados - da indústria de computadores. A Microsoft não economizou palavras para pintar cenários de caos para quem insiste em continuar com o velho sistema, mas mesmo assim empresas, usuários corporativos e usuários domésticos ainda olham com curiosidade para o assunto mas não aceleram na direção de resolvê-lo.
No Brasil, o XP ainda é usado em 10% dos PCs em atividade, segundo informações recentes da Kaspersky Security Networks. Dados que nossos leitores corroboram: pela métrica do Google Analytics, 11,9% dos usuários que acessaram nossos sites nos últimos 30 dias o fizeram usando PCs com XP instalado.
Mundialmente são milhares de máquinas, que vão de PCs e notebooks domésticos e corporativos até caixas eletrônicos (ATMs) de bancos. A empresa NetApplications disse recentemente que em fevereiro de 2014 a base de computadores com XP representava 30% do bolo Windows, enquanto que 47% das máquinas já usavam Windows 7 e uma fatia menor, de 10,6% utilizava um combinado dos novíssimos Windows 8 e 8.1.
E o problema não é apenas nas casas, mas nas empresas. Segundo a IDC, 30% dos PCs corporativos em empresas de todos os tamanhos usam ainda o XP e a base deverá encolher para 20% até o final de 2014, diz Al Gillen, analista da IDC
As implicações para as empresas que continuam a usar o Windows XP, um sistema operacional lançado pela Microsoft em 2001, são grandes por conta dos bugs e das vulnerabilidades decorrentes da falta de correções: vírus, roubo de informações confidenciais e roubo de dados financeiros, para citar alguns.  “Uma vez que o suporte se encerre e o XP não receber mais correções, todo PC estará em risco”, avisa Tom Murphy, diretor de comunicações da Microsoft para a divisão Windows.
Foram sete anos de avisos e nós colaboramos. Se você ainda precisa tirar dúvidas ou quer se manter firme com o velho companheiro, confira a lista de links ao lado. Bom dia, e boa sorte!
Fonte : IDG NOW

Dica: o que fazer se você não pode, ou não quer, abandonar o Windows XP
Vamos dar algumas dicas de como proteger seu computador com o Windows XP mesmo após a Microsoft cessar o desenvolvimento de atualizações. Mas nossos conselhos vem com um aviso: esta não é uma proteção perfeita, e o melhor é abandonar o sistema. Se isso não é possível, considere desconectar o computador da internet se puder. Use-o “como antigamente”, como uma máquina verdadeiramente “pessoal” e sem conexão com o mundo externo. Se precisar navegar ou ler e-mail, use um outro computador mais moderno, ou um tablet.
Se nem isso é possível, siga estas sugestões:
Consiga um pacote de segurança completo: um antivírus simples não é o suficiente. Compre um pacote de segurança que tenha um firewall de mão dupla (que filtra tanto as conexões que chegam à sua máquina como as que saem dela) e proteção contra exploits, além de um antivírus. Pessoalmente gosto do Kaspersky Internet Security, que aliás foi o melhor colocado em nosso ranking 2014 de produtos de segurança (que publicaremos em breve). 
Peça uma segunda opinião: agora que você tem um pacote de segurança poderoso… não confie nele. Complemente-o com o Malwarebyte Anti-Malware Free. Rode este utilitário uma vez por semana para procurar por malware que seu pacote de segurança tenha deixado passar.
Use o Firefox ou Chrome: um navegador desatualizado é uma porta aberta para malware, e qualquer versão do Internet Explorer compatível com o Windows XP é uma verdadeira “anciã”. Felizmente, mesmo as versões mais recentes do Mozilla Firefox e do Google Chrome podem rodar em sua máquina.
Proteja seu navegador: scripts são uma possível forma de distribuição de malware, mas felizmente há extensões para seu navegador que podem bloqueá-los. Mas você terá de dizer a estas extensões para abrir exceções e permitir scripts em sites nos quais você confia. Se você usa o Firefox, instale o NoScript Security Suite. Se prefere o Chrome, vá de NotScripts. Aproveitando: ambos os navegadores tem ajustes que podem ser feitos para que fiquem ainda mais seguros. Veja nossas dicas para o Firefox e para o Chrome.
Mantenha seu software atualizado: software desatualizado é outra porta de entrada para malware. A primeira coisa que você deve fazer é instalar apenas os programas essenciais em sua máquina com o Windows XP. A segunda é mantê-los automaticamente atualizados usando um utilitário como o Secunia Personal Software Inspector (Secunia PSI), que é gratuito. Ele analisa todos os programas instalados, verifica se há atualizações disponíveis e baixa e instala elas para você. Assim você evita que um “buraco” já corrigido por um desenvolvedor em um programa fique aberto em sua máquina.
E lembre-se: mesmo os pacotes de segurança e navegadores eventualmente irão deixar de suportar o Windows XP. Não dá para mantê-lo em uso para sempre.


Page View