segunda-feira, 29 de abril de 2013

Que caracteres você pode fazer segurando a tecla Alt?

Em algum momento da sua vida
acadêmica ou profissional, ao redigir
textos, é possível que você tenha se
deparado com a necessidade de inserir
um caractere especial, ou seja, uma
letra, número ou ícone que não está
disponível nos teclados padronizados
que são comercializados.
Em sua maioria, os editores de texto
possuem uma lista com todos esses
caracteres incomuns. Contudo, esse
recurso geralmente está em um menu
“escondido” no programa, exigindo que
você perca alguns minutos vasculhando
os recursos oferecidos até achar tal
mecanismo e o caractere desejado.
Saiba que esse incômodo pode ser
evitado, já que todos esses símbolos
possuem atalhos de inserção por meio
da tecla Alt. Neste artigo, você vai
aprender a executar os caracteres mais
descolados e úteis sem ter que bater a
cabeça para encontrá-los.

Atenção!
É possível que nem todos os programas,
serviços online e navegadores
reconheçam a totalidade dos atalhos
mencionados neste artigo. Caso você se
depare com tal situação, é sugerido que
você faça uma pesquisa na internet
sobre a inserção de caracteres especiais
para o aplicativo em uso.
A nossa pesquisa foi baseada em um
teclado com o padrão ABNT2 e o
Microsoft Word . Contudo, os softwares e
browsers mais famosos e usados na
atualidade não devem ser motivo de
preocupação e devem entender todos
os comandos ensinados.

Caracteres especiais

Como adicionar
Para adicionar qualquer um dos
caracteres exibidos aqui, você precisa
manter a tecla Alt pressionada e digitar
a sequência numérica referente ao
símbolo requerido. Ao soltar a tecla Alt,
o símbolo deve ser inserido
automaticamente.
Caso você use o teclado numérico para
isso, lembre-se de verificar se o recurso
“Num Lock” está ativo. Por sua vez, em
notebooks é preciso assegurar-se de
que o mecanismo “Função”, que
permite a utilização de uma segunda
opção de funcionamento das teclas,
esteja desativado. Em suma, você deve
garantir que a entrada numérica da sua
máquina esteja acionada.
Seu teclado anda
falhando?

Com o tempo de uso, é comum que,
devido a sujeiras ou simplesmente
desgaste de peças, algumas teclas
comecem a apresentar problemas de
funcionamento. Para que os seus textos
e mensagens não saiam com a
ortografia toda torta, até que você
conserte ou adquiria um novo teclado, é
possível usar os atalhos com o Alt para
acrescentar caracteres comuns.

Fonte: Tecmundo

domingo, 21 de abril de 2013

Ultimo ano de vida para o Windows Xp


Microsoft só oferecerá suporte ao Windows XP até o ano que vem

Empresa afirma que usuários que insistirem em utilizar o SO estarão fazendo-o "por sua própria conta e risco".

Leia mais em: tecmundo



Microsoft só oferecerá suporte ao Windows XP até o ano que vem (Fonte da imagem: Reprodução/Good Wallpapers)
A Microsoft publicou hoje (8) um texto em seu blog oficial relembrando os usuários comerciais do Windows XP sobre eles possuírem exatos 365 dias até que a empresa pare de oferecer suporte ao sistema operacional lançado em 2001.

A partir de 8 de abril de 2014, a companhia não irá mais disponibilizar atualizações e reparos de segurança para o SO, deixando os utilizadores que insistirem em usar o software em uma “situação de risco”, nas palavras da própria Microsoft. O mesmo ocorrerá com a suíte Office 2003.
Ainda de acordo com o comunicado publicado, o mais recomendado é que os usuários do Windows XP façam uma “instalação limpa” (ou seja, formatando completamente seu disco rígido), migrando para um sistema operacional mais moderno como o Windows 7 ou o Windows 8.
Dessa forma, evitam-se problemas de segurança ou instabilidade no desempenho da máquina. A empresa não recomenda que se faça a atualização automática através do Windows Upgrade, e ainda reforça que o usuário que permanecer com o XP e/ou o Office 2003 instalados em seu computador estará fazendo-o “por sua própria conta e risco”.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Facebook vs. Google Plus, a briga que todos esperavam, mas nunca existiu !


Com a recente chegada do Google Plus – rede social do Mr. Google – muito se especulou e se esperou sobre uma possível “briga” acirrada pela concorrência com o líder Facebook. Cinco meses se passaram desde seu lançamento, e o Google+ vem broxando as expectativas a cada dia que passa.

Não é a toa que muitos apostavam no sucesso do Plus. O Google prova em sua história que sabe desenvolver soluções eficientes, disto ninguém duvida.O próprio Orkut é a “prova viva” deste sucesso. Foi o líder durante anos e ainda atrai seguidores fiéis, muito pela ainda eficiente plataforma de fóruns (comunidades) – mesmo o Facebook já contando com a aba “Grupos”, visando esta demanda.
Porém, ainda assim o Google coleciona alguns tropeços, como o Google Wave e o Google Buzz. As duas ferramentas também “prometiam o mundo” para o usuário e nem assim atingiram o mínimo de sucesso esperado. O Google+ tende a ser mais um tropeço. A rede social não emplaca, não embala, e tampouco empolga. Se você teve a oportunidade de desbravá-lo, perceberá uma rede monótona, dando a impressão de um quarto vazio e você escrevendo nas paredes brancas. Sem contar a imensa quantidade de spam profiles que lhe adicionam constantemente. Talvez falte o tal plus.
Eles tentaram, com o botão +1, criado para ser o concorrente contra o “curtir” do Facebook e o “tweet button” do Twitter. Com ele, o Google já mostrava seus grandes anseios e que precisaria de uma plataforma à altura para que fizesse ainda mais sentido. Mesmo acreditando que a “grande sacada” do +1 foi a possibilidade de “curtir” nas buscas, aumentando assim a relevância de sites na mesma. Veja um exemplo:

Até que, há algumas semanas, o gigante das buscas decide lançar o modelo de páginas para o mercado corporativo, seriam as fã-pages do Google+. E, há pouco, um estudo sobre o impacto disto foi publicado.
O estudo analisou as 100 maiores marcas do mercado mundial e descobriu que 61% delas já possuem um endereço no Google+. No entanto, o estudo completa que essas marcas estão longe de alcançar uma audiência significativa.
O número total de todos os fãs dessas marcas no Google+ foi de 147 mil, enquanto no Facebook esse número chega a quase 300 milhões de usuários:
Claro que o tempo para penetração dos usuários é diferente (o Facebook demorou cerca de 6 anos, desde sua criação, para atingir 800 milhões de usuários ativos). Mesmo assim, a rede social de Mark Zuckerberg já mostrava resultados bem mais satisfatórios no mesmo período que o Google+ teve.
O estudo ainda diz que “somente 12% das 100 maiores marcas, que têm uma página corporativa no Google+, linkaram a mesma à seus sites. Já 53% destas mesmas marcas linkam suas homepages às respectivas fã-pages do Facebook.” Então assim como a versão profile, o Google+ business não decola, como era previsto.
Afinal de contas, vale a pena iniciar um perfil corporativo no Google Plus? Diria que sim e não. Sim, se uma empresa que planejou bem sua imersão nas mídias sociais e quer, de fato, entender todas suas funções e ferramentas, ela deve estar na maioria delas. Ainda mais se tratando de um produto Google, não se pode simplesmente ignorá-lo. E não, tendo em vista que a função corporativa das mídias sociais é estar onde o usuário esta e falar sua língua o máximo possível, o Google+ ainda não se encaixa neste perfil.
De forma geral, o que o Google está fazendo hoje é nada mais do que rebater seus concorrentes lançando produtos com funções já existentes. Nada muito além disto. O Facebook permanece líder e, pelo andar da carruagem, permanecerá por muito tempo (e com folga). A rede social que ainda concorre com ele é sim do grandioso Google, no caso o Orkut e não o Plus.
Notou que diversas vezes ao mencionar produtos Google acabo me referindo à termos Facebookiados, como “curtir” e “fã-page”? Claro que é natural a comparação, e citá-los acaba nos ajudando na própria compreensão de funcionalidades e proporções, porém convenhamos que o senhor Google já foi mais inovador e muito além de qualquer sinônimo do concorrente.
 

Page View